«Senhor Macron não está bem», diz vice-presidente do Brasil

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, acusou esta quarta-feira o Presidente francês, Emmanuel Macron, de defender os interesses protecionistas dos agricultores franceses.

«Senhor Macron não está bem», diz vice-presidente do Brasil

«Senhor Macron não está bem», diz vice-presidente do Brasil

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, acusou esta quarta-feira o Presidente francês, Emmanuel Macron, de defender os interesses protecionistas dos agricultores franceses.

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, acusou esta quarta-feira o Presidente francês, Emmanuel Macron, de defender os interesses protecionistas dos agricultores franceses.

“Senhor Macron? Senhor Macron não está bem”, disse Mourão ao ser questionado sobre declarações do Presidente francês na terça-feira.Hamilton Mourão também afirmou que Macron “externou os interesses protecionistas dos agricultores franceses”, num discurso dirigido a um “público interno”.

Na terça-feira, Macron disse que a dependência da Europa da soja brasileira endossa “a desflorestação da Amazónia”. “O senhor Macron não sabe nada sobre a produção de soja no Brasil. Nossa produção de soja é feita no cerrado (bioma localizado na região central) ou no sul do país. A produção agrícola na Amazónia é mínima”, rebateu o vice-presidente brasileiro.

“Aqui no Brasil, menos de 8% do nosso território é dedicado à agricultura, enquanto na França é mais de 60% […] Nesse quesito, podemos dizer que estamos batendo o francês por 10-0”, acrescentou Mourão, que preside ao Conselho da Amazónia, órgão responsável pela coordenação das políticas públicas de desenvolvimento sustentável da Amazónia brasileira.

A questão da desflorestação da Amazónia, que continua batendo recordes desde a chegada ao poder do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, há dois anos, é um dos principais entraves à ratificação pelos países europeus do acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul (bloco formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai).

Um total de 8.426 quilómetros quadrados da floresta amazónica foram devastados no Brasil em 2020, a segunda pior marca anual desde 2015, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) na semana passada.

A Amazónia é a maior floresta tropical do mundo e possui a maior biodiversidade registada numa área do planeta, com cerca de 5.5 milhões de quilómetros quadrados e inclui territórios do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa (pertencente à França).

 LEIA MAIS
Salah doa 450 mil euros ao Egipto para tratar doentes de covid-19

Impala Instagram


RELACIONADOS