Manuela Couto de luto: «Dos quatro, eu, os meus pais e o meu irmão, só resto eu»

A atriz Manuela Couto chora a morte da mãe, que morreu aos 90 anos com Parkinson

Manuela Couto de luto: «Dos quatro, eu, os meus pais e o meu irmão, só resto eu»

Manuela Couto de luto: «Dos quatro, eu, os meus pais e o meu irmão, só resto eu»

A atriz Manuela Couto chora a morte da mãe, que morreu aos 90 anos com Parkinson

Manuela Couto chora a morte da mãe, que morreu aos 90 anos com Parkinson. A morte aconteceu em abril, no auge da pandemia. A atriz confessou, em declarações a uma publicação semanal, que sofreu por – devido às medidas de contenção do novo coronavírus – não conseguiu ver a mãe todos os dias como era hábito. «Daí eu dizer que a pandemia, para mim, foi especialmente difícil», contou à TV Guia.

As cerimónias fúnebres foram «simples» e apenas com a família mais chegada, cumprindo as regras impostas pelo Governo. Ainda em declarações à mesma publicação, Manuela Couta recorda as três fases mais duras da sua vida. A atriz já não tem pai, que morreu há dois anos, nem irmão. «Dos quatro, eu, os meus pais e o meu irmão, só resto eu», lamentou à mesma publicação.

«Foram três semanas desde que teve sintomas até que morreu»

Recentemente, numa entrevista a Júlia Pinheiro, Manuela Couto recordou a morte do único irmão, com um cancro fulminante.

«Era muito jovem, tinha 39 anos e foi muito súbdito. Foi com um cancro. Foram três semanas desde que teve sintomas até que morreu. Os próprios médicos estavam espantados com a velocidade que as coisas se desenvolveram”, disse, na SIC.

«Procuramos encontrar sempre coisas boas na dor, por um lado para ele pode ter sido menos doloroso, mas é uma alucinação. É uma coisa que nos passa por cima. Ele tinha cinco filhos pequeninos. Não tens tempo para gerir aquilo. O meu filho João tinha seis meses. Na altura, lembro-me de estar muito preocupada com os meus pais. São momentos difíceis».

Texto: Ricardina Batista; Foto: Impala

 

Impala Instagram


RELACIONADOS